Invista

Grafico

O pior problema do investidor – talvez seu pior inimigo – é provavelmente ele mesmo – Benjamin Graham

Conhece Benjamim Graham? Ele foi o mentor de um cara pouco conhecido, um tal de Warren Buffett. Homens que alcançaram sucesso em suas estratégias de investimento porque, antes de tudo, acreditaram neles mesmos. Sabiam que estavam indo no caminho que julgavam ser o correto e simplesmente continuavam.

Investir é basicamente buscar boas alternativas para que seu patrimônio possa crescer consistentemente ao longo do tempo. E o que temos de opção para quem quer investir no Brasil?

Há vários tipos de investimento no nosso país. Podemos agrupá-los em:

Renda fixa

São investimentos onde a regra do jogo já está definida desde o início.

Ao adquirir um CDB (Certificado de Depósito Bancário) de um banco, por exemplo, você já sabe quanto ele vai render ao mês. Pode ser que seja uma taxa fixa, que é o pré-fixado, ou então que ele pague para você uma porcentagem de um índice, geralmente o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), configurando o pós-fixado.

Os tipos de aplicação em renda fixa mais conhecidos são:

Captação Bancária:

– CDB (Certificado de Depósito Bancário);

– Caderneta de poupança (você ainda investe em poupança?);

– DI (Depósito Interbancário);

– Fundos DI;

– LCA (Letras de Crédito do Agronegócio);

– LCI (Letras de Crédito Imobiliário).

Valores Mobiliários:

– Debêntures;

– CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários);

– CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio);

Títulos públicos:

(Houve uma mudança nos nomes dos títulos em 2015)

– Tesouro IPCA + (antigo NTNB Principal);

– Tesouro IPCA + com juros semestrais (antigo NTNB);

– Tesouro Prefixado (antigo LTN);

– Tesouro Prefixado com juros semestrais (antigo NTNF);

– Tesouro SELIC (antigo LFT).

Operações Estruturadas:

– COE (veja o artigo Investir em COE vale a pena?, com uma análise sobre um tipo de COE oferecido pelo mercado)

Renda variável

São investimentos em que não existe garantia de rentabilidade no momento da aplicação. Ela pode variar tanto positivamente quanto negativamente. Quais são as aplicações mais conhecidas?

– Ações;

– Fundos Imobiliários;

– Fundos de ações;

– ETF’s

– Commodities;

Imóveis

Imóveis são boas alternativas de investimento. Quando não valorizam, quase sempre estão, pelo menos, protegendo o seu patrimônio da inflação. Há diversas formas de investir em imóveis:

– Aquisição de imóveis na planta para revenda;

– Aquisição de imóveis para compor uma renda com aluguéis;

– Leilão de imóveis;

– Construir imóveis;

– Aquisição de terrenos em regiões com potencial de valorização.

Seu negócio

Na classificação de risco X retorno, abrir um negócio próprio é uma das modalidades de investimento que é das mais arriscadas, superando até o investimento em ações, do qual muita gente tem medo. Mas é o que pode lhe trazer os maiores retornos, sem dúvida.


A lista acima não é exaustiva, claro. Há outros tipos de investimento, e vou comentar sobre todos aqui no blog, mas gostaria de citar uma última categoria que considero a mais importante, e nessa você não pode deixar de investir:

Você!

Sim! Esse é um dos melhores investimentos que você pode fazer! Invista em você mesmo! Estude, aprimore-se, busque novas fontes de conhecimento.

Quanto mais você analisa, entende, mais segurança você terá para ir mais longe, arriscar um pouco mais, ser mais ousado. Assim você vai crescer e prosperar.

Robert Kiyosaki cita uma frase do Pai Rico que eu procuro sempre me lembrar:

O medo e a insegurança criam os céticos. Os céticos criticam, os fortes analisam – Pai Rico

Invista em você. De minha parte, darei o meu máximo para te ajudar a prosperar. Pode contar comigo!