Pai Rico Pai Pobre pode mudar radicalmente sua vida financeira

Olá,

Eu gostaria de compartilhar com você algo realmente interessante. Eu já fiz aqui no blog diversas referências ao livro Pai Rico Pai Pobre. Realmente ele é muito bom. Só que eu estou descobrindo cada vez mais pessoas que mudaram radicalmente suas vidas após a leitura das páginas escritas por Robert Kiyosaki.

Será uma mera coincidência? Ou os ensinamentos apresentados são realmente um divisor de águas para algumas pessoas?

Eu separei abaixo três histórias, de três pessoas conhecidas e que alcançaram muito sucesso financeiro. E todas elas perceberam que precisavam mudar após lerem o livro.

#1 Rafael Seabra

Criador do blog Quero Ficar Rico, Rafael sempre gostou do mundo das finanças, mas sua vida mudou totalmente quando recebeu um presente de um colega de trabalho. Qual era? O livro Pai Rico Pai Pobre.

Nas palavras do próprio Rafael:

Eu não sabia naquele momento, mas esse simples presente iria transformar a minha vida para sempre.

Ele era funcionário público. Decidiu que iria se dedicar ao mundo das finanças, da educação financeira. Ao longo dos anos, foi se aprimorando, estudando e adquirindo cada vez mais conhecimento sobre o funcionamento do dinheiro. Coisas que estão presentes no livro, como fazer o dinheiro trabalhar para você, criar ativos e eliminar os passivos etc.

Hoje não é mais funcionário público. Adquiriu sua independência financeira e segue fazendo o que gosta, que é ser um educador financeiro.

#2 Carlos Augusto Lippel

Criador do blog Clube do Pai Rico. Ele criou o blog após a leitura do livro. O blog foi criado em 2003. Desde então, ele vem escrevendo muitos artigos sobre educação financeira, investimentos, bolsa de valores, ações, opções… e adivinhe: Ele conquistou (também) a independência financeira! E, de acordo com as suas próprias palavras, “antes do esperado”.

Certa vez, eu perguntei a ele como ele fez para alcançar sua independência financeira. Ele me respondeu criando esse artigo. Fiquei muito feliz pois ele quis compartilhar comigo e com todos os leitores sua experiência até alcançar seus objetivos.

#3 Pedro Queiroga Carrilho

Português. Educador financeiro e escritor de vários livros, chamado de autor best-seller. É um dos mais importantes escritores de finanças pessoais de Portugal. Nesta entrevista concedida à Época Negócios, ele fala um pouco da sua história. Aos 15 anos, teve seu primeiro contato com o mundo das finanças. Adivinha como? Lendo Pai Rico Pai Pobre. Nas palavras dele:

O livro mudou a maneira como eu via muitas coisas. Desde então, comecei a investir e a ler tudo o que havia sobre finanças e investimentos

Mais um caso de sucesso na vida financeira que começou da leitura do livro.

Então pessoal, perceberam? Se fosse um caso apenas, se fosse apenas uma pessoa que lesse esse livro e mudasse completamente a sua vida, alcançando liberdade, independência financeira, já seria digno de nota. Mas veja, acabei de falar de três pessoas, com histórias de vidas diferentes, que foram totalmente impactadas pela leitura desse livro. Isso merece a sua atenção! Se você ainda não o leu, talvez fosse o caso de fazê-lo.

Eu não consigo ler nenhum livro

OK, leia então esse artigo em que comento as seis grandes lições do pai rico. É bem menor do que o livro. Não traz toda a riqueza de detalhes, mas dá uma boa visão do que Pai Rico queria ensinar aos garotos.

Esse blog é também fruto dessa minha mudança de visão sobre a vida, sobre os reais valores, sobre o papel do dinheiro na aquisição de ativos para criar o meu patrimônio, sobre perder o medo, sobre buscar a minha liberdade e destruir crenças limitantes que carreguei por muito tempo… tudo isso coisas que estavam presentes nas palavras do Pai Rico, as quais eu li e reli algumas vezes.

Um abraço.

Melhorar sua vida financeira só depende de você!

5 Comentários

  1. E verdade esse livro Pai rico e pai pobre e muito bom mesmo e essas pessoas com certeza mudaram de vida por esse livro ajudou vale a pena mesmo ler esse livro e tem ajudado milhares de pessoas pelo mundo.
    Artigo excelente parabéns.

  2. Não tem como, depois de ler esse livro e Quem mexeu no meu queijo, simplesmente não querer se levantar de vez, sacudir a poeira e literalmente dar a volta por cima, mesmo com todo o clichê… a sensação é parecida com aquela em que a gente assiste um filme de ação e depois da vontade de correr de tanta adrenalina.

Deixe uma resposta