Investir em COE vale a pena?

Olá,

Tenho recebido propostas de corretoras para investimento em COE – Certificado de Operação Estruturada. O que seria essa modalidade de investimento? Vale a pena?

Vamos aos estudos!

O que é COE?

De acordo com a página da CETIP:

O Certificado de Operações Estruturadas – COE é um novo investimento que passa a ser disponibilizado ao mercado brasileiro. É instrumento inovador e flexível, que mescla elementos de Renda Fixa e Renda Variável.  Traz ainda o diferencial de ser estruturado com base em cenários de ganhos e perdas selecionadas de acordo com o perfil de cada investidor. É a versão brasileira das Notas Estruturadas, muito populares na Europa e nos Estados Unidos.

Então pessoal, resumidamente, é uma forma de investir mesclando renda fixa e variável. Há vários cenários de ganhos e perdas que os bancos podem oferecer. No site da CETIP você tem acesso a todas as opções disponíveis.

Eu tenho recebido COEs do tipo Call Spread. A rentabilidade acordada pode ser a variação do ibovespa, do dólar, inflação etc. Você faz o investimento de um valor e tem aquele principal garantido caso a rentabilidade seja negativa. Se a rentabilidade for positiva no período, há um limite pelo qual você receberá rendimentos.

Veja também:

Analise de COE ao final do período de investimento

Exemplo: COE atrelado ao índice Bovespa. Investimento inicial: 10.000. Prazo: 1 ano. Limite de ganhos: 20%.

Após 1 ano, se a variação do Ibovespa foi de:

–  -5%: Valor recebido: 10.000

– 2%: Valor recebido: 1,02*10.000 = 10.200

– 28%: Valor recebido (teto de rentabilidade atingido – 20%): 1,2*10.000 = 12.000

Esses, claro, valores brutos. Incidem taxas e, sobre os rendimentos, o imposto de renda. E para esse tipo de investimento é a tabela regressiva, tal qual um investimento em renda fixa.

Associa-se a esse COE o gráfico abaixo:

Rentabilidade_COE

Veja que, com uma variação negativa do índice, seu capital está garantido (garantido em termos, pois você já perdeu para a inflação). Com uma variação maior que zero (o índice final é maior do que o do início do contrato), você vai ganhando rentabilidade. Ao chegar no valor limite, independente de quanto o índice suba, você não leva mais nada.

Vale a pena?

Falando especificamente sobre esse COE, com ganhos atrelados à variação do Ibovespa e limitação de ganho:

Na minha opinião, não.

Eu acredito que se perde dos dois lados. Você não alcança nem a renda fixa e nem a renda variável. Por quê?

Se está interessado na renda fixa, basta pesquisar um pouco para encontrar investimentos que vão render bem em um ano, principalmente com as taxas de juros que temos atualmente.

Já se você pensa em renda variável, um ano é muito pouco para tentar obter rentabilidades positivas em investimentos atrelados ao Ibovespa. A não ser que você seja um guru dos mercados e tenha certeza do movimento do índice nesse período. E mesmo que você conseguisse isso, se conseguisse, o COE que utilizei no exemplo não seria uma boa opção se o índice fosse subir 25% no período, pois o seu retorno é limitado em 20%.

É importante você pensar bem antes de tomar a decisão de aplicar nesse tipo de COE.

Se quer renda variável, defina a sua estratégia na bolsa primeiramente. Se é para ganhar com variações (fazer trade), o curto e médio prazo são muito importantes, e você precisa conhecer muito do mercado para tentar antecipar alguns movimentos. Já se você pensa em investir na bolsa para ganhar no longo prazo, ser sócio de empresas (essa é a minha estratégia de investimento na bolsa), então movimentos de curto prazo do mercado, que são quase sempre erráticos e imprevisíveis, não farão muita diferença para você.

Concluo, portanto, que essa opção de investimento é tentar investir em dois tipos de mercado e não fazer direito em nenhum.

Veja bem, esse é um tipo de COE. Existem outros (podem ser atrelados ao dólar, à inflação…) e cada caso vai exigir uma análise em particular (veja este artigo com uma análise sobre COE com rentabilidade vinculada ao IPCA. Tem também este artigo sobre COE vinculado ao S&P 500).

Eu não acho uma boa opção COE atrelado ao Ibovespa com um prazo tão curto e ainda com limite de rentabilidade. Você pode obter rentabilidade bem parecida utilizando diversos tipos de investimentos em renda fixa que existem hoje no mercado.

Um abraço!

Melhorar sua vida financeira só depende de você!

11 Comentários

  1. Carol

    Olá Douglas,
    E se no caso o COE estiver atrelado a alta do IBOV mas com ganho ilimitado (acima de 10%) por 1 ano?
    Com o cenário atual, é um bom investimento?

    • Olá Carol,

      Muito obrigado pela pergunta!

      Eu recebi uma proposta de COE parecida com a que você menciona. Talvez seja até a mesma.
      Comparando com o COE que eu analisei no artigo, a questão de ser ganho ilimitado parece ser mais interessante. Mas perceba que até os 10% de alta do IBOV você não está ganhando nada. Então, vamos pensar: Em um ano, para você fazer frente a algum investimento em renda fixa que dê, por exemplo, 10% de rendimento (e com as taxas atuais, isso é plenamente possível de se conseguir), você precisa que o IBOV aumente 20%. Isso significa sair dos atuais 59.000 para 70.800 pontos.
      O pico do IBOV foi de 73920 pontos, em maio de 2008, um pouco antes da crise. Desde então, nunca mais alcançou essa marca.

      Vale a pena? Bom, a resposta vai ter de ser sua, mas eu acho muito difícil que o Ibovespa vá tão longe em tão pouco tempo.

  2. Olá Douglas tudo bem?

    Muito bom o post, parabéns.

    Vi que você falou que sua estratégia na bolsa é visando o longo prazo. Você estuda análise fundamentalista? Acho que seria interessante você fazer um post falando sobre a sua estratégia.

    Obrigado

    • Olá Rodrigo!

      Muito obrigado! Sim eu tenho uma estratégia fundamentalista. É uma excelente dica vou preparar um artigo sobre isso.

      Abração

    • Rodrigo,

      Escrevi o artigo sobre análise fundamentalista e inseri uma referência a ele no artigo acima. Obrigado pela dica!

      Um abraço.

  3. Marcos

    Douglas, tudo bem?
    Eu vim até o seu site entender sobre o COE, pois acabei de receber uma oferta de investimento atrelado ao crescimento da ibovespa, mas é um pouco diferente do que está no seu post.
    Ainda estou pesquisando pra tentar entender sobre a ibovespa, o que é, como funciona, mas será que poderia me dar sua opinião?
    Me ofereceram um investimento COE de 1 ano, com lucro garantido de 8% se acaso o crescimento da ibovespa for negativo, ou se acaso ela atingir a 16%. Se o crescimento da ibovespa ficar entre 0,01% e 15,99% eu ganho essa porcentagem mais os 8% garantidos.
    A ibovespa costuma crescer muito? Se passar de 16% provavelmente vou cair em uma furada.
    Abraços e obrigado!

    • Olá Marcos, obrigado pelo comentário!

      Pelo que entendi, você não está familiarizado com o IBOVESPA certo?

      O IBOVESPA (seu código é IBOV) é um índice baseado numa carteira teórica de ativos da bolsa. Ou seja, utilizando-se uma metodologia, são selecionadas algumas empresas que têm ações na bolsa de valores e o índice reflete o preço dessas ações.

      Por exemplo: Petrobrás. É uma empresa que consta no índice (e com um grande peso). Se as ações da Petrobrás tem um desempenho muito bom, a tendência é que o índice reflita isso, e suba também. Entendeu? Se quiser mais informações sobre o IBOV, tem esse link da BM&F Bovespa.

      Agora falando especificamente sobre o COE que você menciona. Esse produto é, basicamente, um contrato que você e a instituição farão, considerando como parâmetro de remuneração a variação do índice dentro do período do contrato. Mas eu vejo alguns problemas nesse produto:

      1 – Como eu disse no artigo, prever um comportamento de um índice é para algum mago do mercado, “o escolhido”. Pode ser que suba, mas também pode ser que caia. É totalmente imprevisível. Ainda mais dentro de um ano. É pouco tempo. Num longo prazo, podemos dizer que a tendência do IBOVESPA é de alta, baseando-se no histórico do índice de longo prazo, mas isso não garante nada para o futuro, obviamente.

      2 – Há nesse COE uma cláusula no contrato que é o Evento de Barreira de Alta. Ou seja, em qualquer data de verificação, se o preço de verificação atinge valor igual ou superior à barreira de alta, seus ganhos são limitados ao valor de rebate, que no seu caso é 8%. Então, se você está acreditando que o IBOV vá subir, você tem de torcer para que, em um ano, ele suba, no máximo, até 15,99%. Se, em qualquer dia dentro do prazo acordado, ele for a 16%, perdeu, mesmo se o índice termine em 14%, por exemplo. Você só ganha os 8%.

      3 – Vamos considerar que você tenha uma boa dose de intuição, e ache que o índice vai subir 10% nesse intervalo, e que nunca vá passar dos 16%. OK, você irá ganhar, em um ano, 10%+8% = 18% BRUTOS (sim, pois no COE, há incidência de IR, que no caso será de 17,5% sobre o rendimento). Eu te pergunto: se há, hoje, possibilidades de ganhos de 97% do CDI, garantidos pelo FGC, isentos de imposto, por que escolher uma aplicação desse tipo? Uma LCI de algum banco pequeno pode entregar uma rentabilidade próxima disso.

      Enfim, a decisão final é sempre de cada um. Essa é a minha opinião. Acredito que, se você quer ganhar com a bolsa, há outras formas, que exigem mais estudo e preparo com certeza, que trarão um risco maior também, mas que são mais eficazes. E se você não quiser ou não se sentir preparado agora, busque alternativas na renda fixa, que no Brasil temos várias. Você encontrará boas taxas de retorno, sem dor de cabeça.

      Espero ter ajudado. Um abraço!

      • Marcos

        Amigo Douglas, muito obrigado. Tudo que vc falou foi totalmente esclarecedor. Me serviu muito como aula e agora já sei exatamente como analisar este tipo de oferta e como seguir. Muito obrigado!!

  4. Sr. Fonseca

    Olá, Douglas!

    Gostaria de pedir sua opinião também.

    Vi um COE que oferece taxa mínima de 15% de ganho (um prazo de três anos) + ganho ilimitado (no caso de cenário de aumento, claro).

    São operações na bolsa americana.

    Parece interessante?

    Agradeço de antemão, fique com Deus!

    • Olá Sr. Fonseca!

      Em nossos investimentos, tenho visto que mais importante do que olhar rentabilidade/lucro, precisamos primeiro olhar para o risco. Se tudo der errado, o que acontece com o meu dinheiro?

      Tudo dar errado nesse tipo de COE seria, pelo que você informou, uma queda dos três papéis. Provavelmente, há aqueles cenários intermediários que deixam a coisa muito mais complexa, mas vamos resumir a nossa análise a uma simples queda de todos os papéis. Nesse caso, você fica com 15% ao fim de três anos. Isso representa uma rentabilidade de 0,39% ao mês. BRUTA! Bem abaixo da poupança, que seria a nossa base mínima de comparação.

      Vale a pena? Bom, o que você acha sobre os papéis que estão sendo ofertados nesse COE? Acredita na valorização dessas empresas nesse curto espaço de tempo? Está ciente da ocorrência de cisnes negros ao longo do caminho? Dá uma olhada neste artigo, onde eu calculo a rentabilidade de três COEs. Veja que ficaram muito próximas às de produtos de renda fixa do mercado. Em alguns casos, bem pior.

      Eu acredito que investir em bolsa deve ser com uma visão de longo prazo. Três anos é um tempo muito curto em bolsa para poder prever uma possível queda ou subida de uma ação. E se você tem o propósito de ser sócio de empresas boas, os ganhos vêm de outras formas, não somente via compra/venda de papéis.

      Um abraço!

Deixe uma resposta