Comentários sobre o livro Pai Rico Pai Pobre

Olá!

Existem livros que nos marcam. Quando eu era criança, eu li alguns livros, não muitos, lia principalmente aqueles que as professoras pediam.

Mas eu li um chamado “viagem ao centro da terra”, de Julio Verne. Esse livro é incrível! Eu não conseguia parar de ler! Ainda posso me lembrar de passagens do livro. Parece que eu o li ontem. Isso é um livro que marca.

O Livro Pai Rico Pai Pobre é desse tipo. Eu o considero como sendo da categoria “soco na boca do estômago”. É interessante ver com que clareza Robert Kiyosaki, o autor, expõe seus pensamentos sobre dinheiro, tudo o que ele aprendeu com o pai rico, e também com o pai pobre. Algumas frases que ele cita no livro são de uma verdade escancarada.

O livro Pai Rico Pai Pobre


Para quem não leu, o livro conta a história do próprio autor, Robert Kiyosaki, que era filho de um professor universitário, chamado por ele de Pai Pobre. Ele tinha um grande amigo de infância e, juntos, começaram a querer saber como poderiam ganhar dinheiro. Eles tinham cerca de 09 anos de idade.

Um dia, o Pai Pobre chegou à garagem de sua casa juntamente com o pai do melhor amigo de Robert, o Pai Rico, e encontraram os garotos produzindo moedas a partir de embalagens usadas de pasta de dente (à época, os tubos de pasta eram feitos de chumbo). Depois de risadas e conversas, decidiram que eles teriam ensinamentos sobre dinheiro com o Pai Rico.

A partir daí, começaram a aprender conceitos novos que mudariam completamente suas visões sobre dinheiro. Kiyosaki comenta que, em um determinado momento, precisou decidir qual pai seguir. E, quando ele comparou o que cada um fazia com relação ao dinheiro, decidiu não seguir os passos do pai pobre.

De acordo com o autor, depois de anos de aprendizado, ele resumiu tudo o que aprendeu com o pai rico em seis grandes lições. Vou comentar a seguir cada uma delas. Se quiser, você pode clicar em cada título que será direcionado para o tópico específico.

Lição 1: Ricos não trabalham pelo dinheiro

Lição 2: É preciso ter alfabetização financeira

Lição 3: Cuide do seu negócio

Lição 4: Impostos e Sociedade Anônima

Lição 5: Ricos inventam dinheiro

Lição 6: Trabalhe para aprender

 

Lição 1: Ricos não trabalham pelo dinheiro


packs-163497_1280

Nessa parte do livro, pai Rico testa os meninos para ver se eles realmente estão dispostos a aprender sobre como ser rico. Numa reunião em seu escritório, oferece a ambos uma oportunidade: trabalhar aos sábados, por 10 centavos a hora, durante três horas, em uma de suas lojas. Eles precisariam decidir rapidamente, senão a oportunidade logo escaparia (aqui ele os ensina a não pensar demais, mas agir na presença de uma oportunidade). Decidiram, então, começar.

Os 30 centavos, Robert gastava imediatamente em gibis. Três semanas depois, já não queria mais ir trabalhar. Não estava aprendendo nada com aquilo (na visão dele), e começava a se sentir explorado.

Pediu então para conversar com o seu patrão. Pediu um aumento, e ainda criticou a atitude dele para com os meninos. Pai Rico, então, disse que estava mostrando a eles como é trabalhar pelo dinheiro. Que esse é o padrão que quase todos seguem, que foram ensinados a seguir. Quanto mais dinheiro ganham, mais o padrão de vida aumenta, daí precisam de mais dinheiro, sentem-se explorados, e buscam novas oportunidades. Na verdade, o medo guia as ações dessas pessoas. As emoções controlam os pensamentos, quando, na verdade, os pensamentos deveriam controlar as emoções.

Para crianças de 09 anos, eram conceitos muito diferentes de tudo o que viam e ouviam. Mas, de alguma maneira, perceberam verdade naquilo. Pai Rico perguntou, então, se queria continuar. Robert disse que sim. Pai Rico então propôs que ele iria trabalhar agora sem receber nada! Mesmo sem acreditar, Robert aceitou a proposta.

Esse jeito de trabalhar fazia os garotos pensar, fazia-os trabalhar para aprender.

Um dia foram os três a um parque. A conversa que eles tiveram ali é, na minha opinião, uma das partes mais interessantes do livro!

Pai Rico ofereceu a eles aumento: “1 dólar a hora”. “2 dolares!”. “OK, 5 dólares!”

A cada nova proposta, o que inicialmente era um desejo louco em aceitar foi se transformando em calmaria, autocontrole. Eles percebiam que não havia mais sentido nas propostas. Percebiam que não era bom que fizessem aquilo. Pai Rico então mostrou a eles que, assim como o medo, a ambição é outra emoção que controla nosso pensamento. O que ele queria ensinar aos garotos era isso: controlar o medo e o desejo, ao invés de se deixar ser controlado. Fazendo isso, eles poderiam alterar a lógica, fazendo o dinheiro trabalhar para eles, ao invés de trabalharem pelo dinheiro.

Lição 2: É preciso ter alfabetização financeira


silhouette-936724_1280

É preciso controlar medos e desejos, mas sem uma base mínima, sem conhecimento sobre o tema finanças, é impossível fazer crescer o patrimônio.

Como, então, ensinar assuntos complexos como esses a dois garotos?

Através de desenhos e frases, Pai Rico traduzia esses conceitos complexos, tornando possível a assimilação do que ele queria ensinar.

Por anos eles foram aprendendo com ilustrações simples a diferença entre ativo e passivo, despesas e receitas, como era a relação entre esses conceitos; como os diagramas da classe média e dos ricos era diferente; como os ricos focam nos ativos para gerar renda e vão, com o tempo, aumentando a diferença entre receitas e despesas, logo tornando-se mais ricos; e como a classe média compra passivos pensando estar adquirindo ativos e mantém despesas e receitas quase sempre no mesmo patamar, ano após ano, tornando-se, portanto, mais pobre.

Lição 3: Cuide do seu negócio


money-1017463_1280

Quando o dono do MC Donald’s perguntou a algumas pessoas qual era seu negócio, imediatamente começaram a rir de tal questionamento. Ora, quem não sabe o negócio do Mc Donald’s?

O que eles não esperavam era que a resposta seria algo bem diferente de fazer hambúrguer. O negócio dele era imóveis.

Sim, o foco principal do dono de uma das maiores redes de hambúrguer do mundo era conquistar os mais valorizados pontos das cidades onde ele se instalava. Assim, ele ia aumentando cada vez mais sua coluna de ativos, ou seja, cuidando do seu negócio.

Essa é a principal mensagem desse capítulo do livro. É importante que você esteja atento ao seu negócio. Cuide muito bem dele.

E o que seria um negócio, na visão do autor? Tudo o que gera renda para você:

 – Imóveis;

 – Ações;

 – Títulos públicos;

 – Ter uma empresa, desde que esse negócio não consuma todo o seu tempo;

 – Qualquer outro ativo que gere renda passiva para você.

Ter uma empresa pode ser uma boa opção para obter renda, mas se ela consumir todo o seu tempo, então você acaba sendo empregado de você mesmo. A sua profissão será a sua empresa.

Quanto mais você focar suas energias em cuidar do seu negócio, mais rapidamente você terá o dinheiro trabalhando para você.

Lição 4: Impostos e Sociedade Anônima


lion-515029_1920

Esse capítulo do livro talvez é o que gere mais dúvidas ao brasileiro que lê o que o autor colocou ali. Isso porque ele fala da realidade americana, e quando o assunto é imposto, abertura de empresas, as diferenças são grandes entre EUA e Brasil. Mas nada que comprometa o entendimento da mensagem que ele quer passar.

Você lembra da história de Hobin Wood, de tirar dos ricos e dar aos pobres? De acordo com Kiyosaki, esse raciocínio acaba se voltando para quem o defende. Por quê?

Pai rico contava para eles que, há centenas de anos, governos começaram a taxar a renda dos ricos para buscar financiamentos para guerras e grandes obras. Na medida em que o dinheiro começava a entrar, os governos iam aumentando o seu apetite e cobrando mais imposto. Daí, a taxação que era sobre os ricos começava a se disseminar para a classe média e para os pobres. Além disso, os ricos valiam-se de artifícios para fugir das cobranças de impostos, criando, por exemplo, sociedades anônimas. Com isso o imposto ia cada vez mais migrando para a renda dos que não eram ricos.

Alguma semelhança com o nosso país? 🙁

Quando comparamos o Brasil a outras nações, pode-se até dizer que pagamos menos imposto sobre a renda. Mas e o que vem de repasse?

Pois é, empresas recolhem muito imposto. Mas repassam praticamente tudo para o produto final. E isso é tão corriqueiro que, nos anúncios dos aumentos de impostos sobre a produção ou aumentos de contribuições obrigatórias, representantes de grandes empresas já alertam que repassarão todo o reajuste para o preço final.

Então, seja abrindo uma sociedade anônima, como mencionado no livro, seja repassando os impostos ao produto final, o rico sempre busca uma forma de se livrar dos impostos.

E quem mais arca com a carga tributária?

Pessoas mais pobres não possuem imposto sobre a renda; utilizam os serviços entregues pelo governo como saúde e educação, ainda que muitas vezes, infelizmente, de péssima qualidade. Os impostos pagos por eles são, então, os embutidos nos produtos e serviços.

Os ricos estão constantemente encontrado artifícios para fugir dos impostos.

A classe média:
Paga imposto sobre a renda, podendo chegar a 27,5%. Não há como fugir disso. Ao receber seu salário, o contracheque já te mostra o tamanho da mordida;

Paga os impostos indiretos nos produtos e serviços que consome;

Paga escola e plano de saúde pois quer melhores oportunidades para seus filhos e um tratamento de saúde mais digno.

Deu pra entender que quem vive na classe média está comprometendo grande parte da sua renda? É muito difícil sair desse enredo.

Se você quer, então, mudar esse cenário, independente se você tem um, dois, dez salários, precisa começar a desenvolver seu QI Financeiro. Na visão do autor, ele se resume em quatro grandes áreas:

– Contabilidade – entender minimamente sobre orçamento, balanço. Quanto mais dinheiro você tiver, mais necessário é desenvolver essa área de conhecimento, para que você consiga administrá-lo bem.

– Investimento – nas palavras do autor, é o “dinheiro que faz dinheiro”. Quanto mais conhecimento nessa área, mais opções estarão disponíveis para o seu dinheiro render mais.

– Entendimento dos mercados – É a lei da oferta e demanda. É estar antenado para as oportunidades que estão aí.

– Lei – conhecendo a lei é possível utilizá-la a seu favor, conseguindo abater despesas de sua base de cálculo de impostos, por exemplo.

Lição 5: Ricos inventam dinheiro


money-case-163495_1280

Nesse capítulo, Kiyosaki inicia comentando o jogo “Cash Flow”, o jogo da corrida dos ratos, que ele mesmo criou, e que já jogou com muitas pessoas ao longo de anos de educação financeira.

Diferentemente de uma aula ou palestra, o jogo te dá o feedback instantâneo sobre como você lida com o dinheiro, com as situações da vida, com as oportunidades que aperecem.

Ele descreve alguns perfis de quem joga:

– Pessoas que esperam pela oportunidade certa – Elas esperam, esperam e esperam. E então ficam inertes, não evoluem, não aproveitam as oportunidades que estão constantemente indo e vindo;

– Pessoas que vislumbram um grande negócio e não tem dinheiro – Por estarem endividadas ou por ter todo o patrimônio comprometido em passivos, não conseguem aproveitar as oportunidades;

– Pessoas que têm a oportunidade, tem o dinheiro, mas não tem a menor ideia do que fazer – Por não ter inteligência financeira, ficam sem saber como agir quando vislumbram oportunidades.

Assim como no jogo, a vida está nos dando feedbacks constantes. Você é, neste momento, o resultado de todas as suas escolhas. Se a sua vida financeira não vai bem, então você pode estar agindo como alguns reagem no jogo.

Inteligência financeira é ter mais opções. Assim como no jogo, para ter mais “sorte” e inventar dinheiro, é preciso inteligência financeira, justamente para poder criar mais opções.

Kiyosaki exemplifica isso com um negócio que ele fez. Houve uma época em que os preços de imóveis em sua cidade estavam caindo. Casas de 100 mil estavam sendo vendidas a 75 mil.

Ao invés de ir a imobiliárias, buscou em escritórios de advocacia ou em tribunais melhores oportunidades. Adquiriu uma dessas casas a 20 mil. Para isso, pegou 2 mil emprestados com um amigo, a juros de 10% em 3 meses, e pagou ao advogado a entrada com esse cheque.

Anunciou a casa por 60 mil sem entrada. Muitos interessados apareceram.

Após a casa estar legalmente em seu nome, vendeu-a rapidamente. Solicitou 2500 ao comprador como taxa de processamento. Devolveu ao seu amigo 2200. Embolsou 40 mil.

Veja que ele não tinha nem o valor do cheque de entrada. Fez isso com uma promissória que garantia ao portador 10% de juros em três meses. Ele “inventou” 40 mil.

No nosso contexto, fazer uma operação dessas com imóveis pode ser bem mais moroso e burocrático. Mas esse é apenas um exemplo claro de como ricos “inventam dinheiro”.

É a inteligência financeira preparando você para estar atento às oportunidades e criar mais opções.

Lição 6: Trabalhe para aprender


workers-659885_1920

Aqui o autor inicia lembrando de uma dia em que iria dar uma entrevista a uma renomada repórter. Ela escrevia bons artigos para o jornal em que trabalhava, mas não conseguia emplacar seus livros.

Ao perguntar a Kiyosaki o que ela poderia fazer com relação aos livros que escrevia, ele sugeriu que ela aprendesse a vender. Ela era boa escritora, mas para se tornar best-seller precisaria melhorar suas habilidades com venda.

A reporter ficou ofendida com a sugestão. Para ela, vendedores só pensavam em dinheiro. A entrevista acabou nem acontecendo.

Kiyosaki resume em algumas ações o que ele aconselharia a ela:

– Fazer cursos de redação publicitária e vendas;

– Sair do jornal onde trabalhava e procurar algum emprego em uma agência de publicidade. Mesmo com alguma possível redução de salário, ela iria aprender a comunicar-se sinteticamente, a como obter publicidade gratuita, apreder sobre relações-públicas, entre outras habilidades;

– Com essas habilidades, escrever o livro e se tornar autora de best-sellers, como ele.

O autor continua explicando a sua estratégia ao longo dos empregos que conseguia na juventude. Ele estava focado em trabalhar para aprender.

– Começou trabalhando na marinha mercante, para entender sobre como funcionava o comércio internacional.

– Depois de alguns meses, pediu demissão e foi para Marinha dos Estados Unidos, para aprender a comandar tropas. Com isso ele ia aprender a como gerir pessoas, o que era, segundo Pai Rico, uma das partes mais difíceis na condução de empresas.

– Algum tempo depois, saiu e buscou um emprego na área de vendas. Ele era tímido e precisava vencer o medo de vender. Foi para a Xerox e trabalhou por quatro anos para treinar sua habilidade de vendas. Quatro anos depois, largou o emprego e o ranking dos cinco maiores vendedores da empresa. Já aprendera o necessário.

Quando se sentiu preparado, formou sua primeira empresa, que trazia produtos do Extremo Oriente para um armazém em Nova York.

A mensagem que fica do capítulo é essa: busque um emprego pelas oportunidades de aprendizado, mais do que pela remuneração. Faça isso antes de entrar na Corrida dos Ratos. Depois de iniciada, é muito difícil encontrar uma solução para sair dela.

Resumo:

Tentando resumir em poucas palavras esse livro incrível, o que fica de lição para a nossa vida:

– É preciso vencer o medo e a ignorância financeira; pra isso, buscar conhecimento é fundamental.

– Quanto mais você aprender, mais capacidade de analisar e perceber as oportunidades a sua volta você terá. Isso te dará a chance de investir em ativos que vão gerar para você renda passiva.

– Portanto, trabalhe para aprender. Mais importante que a remuneração é o que você irá aprender com aquele trabalho. No curto prazo, pode ser que a renda seja menor, mas no longo prazo isso trará grandes resultados.

Termino com uma frase do livro que me marcou muito:

O medo e a incerteza criam os céticos. Os céticos criticam, os fortes analisam. – Pai Rico

Gostou? Fique à vontade para compartilhar o artigo. Se tiver alguma sugestão ou comentário também fique à vontade. O espaço aqui é para isso mesmo.

Um abraço!

Melhorar sua vida financeira só depende de você!

2 Comentários

Deixe uma resposta