Pague-se primeiro!

Olá,

Na nossa rotina, frequentemente fazemos assim (veja se você se identifica com esse padrão):

– Recebemos o salário;

– Pagamos tudo: contas, cartão de crédito etc.;

– Sobrou? Vamos ao cinema, passeamos…

– Sobrou mais alguma coisa? Bom, se sim, então guardamos para eventuais necessidades…

Essa lógica é muito boa para seus credores, mas é péssima para você, pois algo fundamental está sendo deixado por último: Seu futuro financeiro.

Não tem segredo: Poupe agora para desfrutar mais no futuro. Essa é a regra. Se você não fizer isso, sua tranquilidade financeira nunca virá.

O padrão receber->pagar contas->poupar precisa urgentemente ser alterado para:

Receber -> Poupar -> Pagar contas. Ou melhor ainda:

Receber -> Pagar-se -> Pagar contas

Essa diferença de visão é fundamental: Você precisa pagar a si mesmo em primeiro lugar. Esse é o primeiro compromisso financeiro que você precisa honrar. Depois você vai ver o que sobrou e honrar seus demais compromissos.

“O quê?? Não! Nunca devi ninguém! Detesto isso!”

Eu também! Mas se você se pagou assim que recebeu a sua renda e não conseguiu honrar todos as suas obrigações financeiras, então:

  1. Você gasta mais do que ganha e precisa ajustar isso gastando menos; ou
  2. Você precisa aumentar a sua fonte de renda para manter o seu pagamento e seus demais compromissos.

Pagar-se primeiro. Mas quanto?


piggy-bank-621068_1280

O que se sugere nos livros, o que especialistas falam, é o famoso 10%.

Esse é um número inicial. Se você não consegue isso, comece com 5%. Nem isso? Está no aperto geral? Separe 10 reais por mês então, mas pague-se! Isso vai mexer com o seu psicológico.

O ato de fazer esse pagamento a você demonstra o seu compromisso com a sua prosperidade financeira. E mais, se você começa com pouco, vai começar a perceber que está sendo injusto e incoerente com você mesmo: “como assim separar apenas 10 reais por mês para mim? Preciso melhorar isso! Vou aumentar meu pagamento! Eu mereço mais!”.

“OK, mas, fazendo isso, não vou ter nada para o meu lazer!”

Claro que vai! Ao fazer o seu pagamento inicial, já destine parte do dinheiro para seu futuro financeiro, sua poupança e investimentos, e parte para seu lazer.

T Harv Eker sugere no seu livro “Os segredos da mente milionária” que você tenha contas separadas, uma para cada objetivo: Grandes dívidas, poupança (que ele chama de conta da renda passiva), conta da diversão…

Se você não quer ter muitas contas, deixe em casa uma caixinha, ou um envelope, para alguns desses objetivos. O dinheiro da diversão, por exemplo, pode ficar guardado em casa mesmo, afinal ele será usado com mais frequência. Mas é fundamental que ele tenha esse lugar separado, pois você saberá que pode contar com aquele dinheiro para seu lazer e de sua família, e fará isso sem culpa nenhuma.

Um exemplo de divisão da receita pode ser:

– Despesas básicas: 70%;

– Poupança: 15%;

– Instrução: 5%;

– Doação: 5%;

– Diversão: 5%.

Com esses números em mente e fazendo o controle e acompanhamento mensal para não fugir do planejado, é possível viver mais tranquilo e atender aos interesses diversos das pessoas da sua família.

Essas mudanças de atitude farão sua poupança aumentar sensivelmente e as coisas só tenderão a melhorar, com certeza!

Gostou do artigo? Tem alguma dúvida ou comentário? Fique à vontade. Vamos compartilhar experiências e melhorar nossa vida financeira!

Um abraço!

Melhorar sua vida financeira só depende de você!

Deixe uma resposta