Você conhece o INDEF?

Olá,

Há pouco tempo conheci um interessante indicador disponibilizado pelo SERASA Consumidor em parceria com o IBOPE Inteligência. Chama-se “Indicador de Educação Financeira – INDEF”. Ele encontra-se em sua terceira edição e foi criado para entender melhor como anda a educação financeira da população brasileira.

Nas entrevistas, são avaliadas três dimensões:

Conhecimento – Avalia o entendimento sobre conceitos financeiros;

Atitude – Verifica como está a relação do indivíduo com o dinheiro;

Comportamento – Analisa as ações do dia a dia em relação às finanças.

Vamos às notas gerais divulgadas em 2015:

INDEF Geral

INDEF 2015 Geral – Fonte: http://www.serasaconsumidor.com.br/

Podemos perceber que o conhecimento sobre educação financeira aumentou entre 2014/2015, mas a nota do comportamento diminuiu. Mesmo aprendendo mais sobre dinheiro, as atitudes ainda não refletem o que está sendo aprendido.

Acredito que o ano de 2015, com tantos problemas os quais todos nós bem conhecemos, está testando a habilidade do brasileiro em equilibrar contas e renda. É realmente difícil viver financeiramente equilibrado em um ambiente de inflação alta, desemprego, desvalorização do real.

Mas, olhando positivamente, o conhecimento financeiro está se disseminando, e isso é muito bom. Esse patrimônio fica para as famílias, e aos poucos as coisas vão se acertando, pois as pessoas vão aprendendo o que fazer com o dinheiro.

Piora no Controle dos Gastos


Destaco abaixo outro comparativo interessante do estudo:

Tabela _INDEF

Fonte: http://www.serasaconsumidor.com.br/

Todos os números acima são preocupantes. Perceba o aumento de 41% para 47% dos que possuem compromissos financeiros superiores a 30% da renda. Isso é realmente sério! Embora esse crescimento possa ser ocasionado, por exemplo, por alguém que perde um emprego e deixa de contribuir para a renda familiar, aumentando o endividamento, eu acredito que isso é ocasionado, principalmente, pela falta de planejamento na hora de adquirir bens. Outro dado que preocupa é o aumento das dívidas com cartão de crédito e cheque especial, saltando de 45% para 55%! Essas são as modalidades mais caras de empréstimo (e os bancos pulam de alegria!)

Comparativo entre Classes sociais:


Para finalizar, destaco o que o estudo mostra em termos de educação financeira em cada classe social.

Obtive essa tabela do estudo realizado em 2014:

Tabela _INDEF

Fonte: http://www.serasaconsumidor.com.br/

A maior porcentagem de pessoas com notas de 0 a 5 é da classe DE; alcançaram notas iguais ou maiores que 7,01: 24% das classes AB; 17% da classe C; e 16% da classe DE.

Constata-se a diferença entre as classes sociais e o nível de educação financeira percebido em cada uma delas.

Eu penso que uma das melhores formas de melhorarmos a maneira como lidamos com o dinheiro é investindo na educação financeira. Sobretudo de jovens e crianças, para que cresçam sabendo gastar menos de que ganham, para que saibam poupar e investir bem seu dinheiro. Daí poderemos ter pessoas que dependam cada vez menos das ajudas do Estado, e vivam por conta própria, felizes!

Um abraço.

Obs.: Caso queira mais informações, acesse o site onde está disponibilizada a pesquisa:

http://www.serasaconsumidor.com.br/

Melhorar sua vida financeira só depende de você!

Deixe uma resposta